Cadeia do milho define novas estratégias para cereal no RS

04/10 – 14:54
Unificação de produtores, órgãos oficiais e consumidores é melhor caminho para aumentar cultivo do grão

Novas estratégias para o avanço da cadeia do milho no Rio Grande do Sul foram definidas no Seminário de Alinhamento Estratégico da Câmara Setorial do Milho, com as participações da Associação dos Produtores de Milho do Rio Grande do Sul (Apromilho-RS) – entidade que faz parte da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho) – Câmara Setorial do Milho do RS, Secretarias Estaduais da Agricultura, da Fazenda, do Desenvolvimento, Planejamento e Investimento, BRDE, MAPA e outras entidades da suinocultura e avicultura. O evento aconteceu em Ijuí em 21 e 22/9 e tratou sobre pontos importantes de toda a cadeia do milho, do mercado, tecnologia de produção e infraestrutura.

“É a primeira vez que acontece uma reunião unificada no Rio Grande do Sul”, afirma o presidente da entidade, Cláudio de Jesus. Para ele, a união entre as cadeias é o principal fator para aumentar o cultivo do milho, pois um depende do outro. “Se produzirmos sem pensar no frango e no suíno, não teremos interessados em consumir o grão. Por isso, uma das coisas que decidimos é que devemos trabalhar o mais próximo possível”, comenta. “Além disso, é importante sabermos como estabilizar o preço do milho e fazê-lo ficar dentro do Estado”.

O diretor-executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Suínos e Presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Animal do Estado do RS (FUNDESA), Rogério Kerber, ressalta que a unificação é uma estratégia inteligente e vantajosa para todos. Segundo ele, o governo do Estado deu total apoio ao alinhamento estratégico. “Um dos objetivos é melhorar as condições da cultura, a comercialização e incentivar a irrigação”. Kerber ainda completa que o governo já sinalizou que pretende estender o benefício previsto no Programa Pró-Produtividade Agrícola, para incentivar a irrigação na cultura do milho.

O secretário de agricultura do Rio Grande do Sul, Luiz Fernando Mainardi, destaca que o milho é o principal item na composição da ração animal, principalmente daquelas usadas para a alimentação de aves, suínos e bovinos de leite, mas atravessa uma fase delicada. “É claro que também devemos promover a adoção de novas tecnologias, melhorar e aumentar a capacidade de armazenamento e dos programas de comercialização, além de identificar novas áreas de plantio”, completa.

As informações são da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho).

Agrolink com informações de assessoria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: